jump to navigation

Serei contigo pois EU SOU o teu Deus 05/09/2009

Posted by Vanessa Meira in 1.
4 comments

Por: Ruth Alencar

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, afim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber; porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós.

 Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós outros. Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis, porque eu vivo, vós também vivereis.”João 14: 16-19

 Tenho o hábito de orar pedindo a proteção de Deus a cada vez que preciso sair de casa. E naquela manhã não foi diferente. Como o supermercado não era longe da minha casa decidi ir andando.

Havíamos andado apenas um quarteirão quando uma ordem surgiu na minha mente: “Ore“.

 Obedeci imediatamente. Parei, inclinei minha fronte ali mesmo e oramos eu e minha filhinha de 7 anos. Um quarteirão a mais senti um forte desejo de olhar para trás. O tempo foi apenas o de virar-me e dei de cara com um menor marginal que havia corrido em nossa direção para atacar-nos. Ele respirava ofegante. Assustou-se mais do que eu, afinal pensava que iria surpreender-me.

 Como viu que não podia contar mais com o fator surpresa começou a gritar bem alto e forte: “vai morrer, vai morrer sua safada”, e correu em direção a uma casa, a qual supus ser a sua. Havia muita raiva no olhar daquele jovem…

 Algo dentro de mim me dizia para não prosseguir, mas mudar o trajeto. Ele voltaria. Peguei minha filhinha e disse para apressarmos os passos e que deveríamos mudar de trajeto rápido, pois aquele homem era mau.

 Decidi procurar uma parada de ônibus e assim prosseguir meu destino. Mas, após alguns poucos minutos na parada percebi que ele vinha juntamente com dois outros. Estavam andando com o comportamento de quem procurava alguém.

 Prepararam uma emboscada na esquina como não fomos, resolveram nos procurar. Apressei meus passos até uma farmácia e expliquei ao dono o que estava acontecendo. Ele nos escondeu atrás do balcão e foi para a calçada como se não houvesse clientes. Vi quando passaram em frente à farmácia. Orei novamente ali mesmo, agachada detrás do balcão, e agradeci a Deus a Sua proteção.

 Deus cumprira a Sua promessa naquela manhã para mim, advertira-me do mal que alguém havia programado fazer contra mim. Falou-me de uma forma que sabia que Lhe daria ouvido. E porque O escutei, Ele me livrou do laço do passarinheiro”.

 Como você pode perceber, não compartilho o pensamento de que não existe nada além de nós. Creio que há Alguém muito especial que vela por nós, simples criaturas.

Um Deus ativo e atento às nossas necessidades. Zeloso por nossas vidas.

Gostaria de dizer-lhe esta manhã que este cuidado está disponível, ao alcance de todos os que o desejarem. Você não precisa ser especial para merecê-lo, precisa apenas crer quando ora pedindo a Sua proteção.

 Foi Jesus quem disse que o Espírito Santo nos consolaria. Ele não nos deixaria órfãos. Estaria conosco e em nós.“Pedi, e dar-se-vos-á; busca e achareis; batei e abrir-se-vos-á.”(Mat. 7:7)

 Por isso, sigamos em frente apesar das dificuldades, Satanás não pode tocar em nossas vidas. Ele pode dificultar e até atrapalhar nossos planos, mas suas estratégias não prevalecerão porque pertencemos ao Grande EU SOU.

 Por isso, quando sentirem vontade de orar orem! Não importa o local, nem a hora. Orem. É Deus querendo comunicar-Se.

 Que Deus o abençoe e o cubra com o Seu amor protetor. Que Ele possa inclinar sempre Seus ouvidos a todas as suas preces e que opere segundo a Sua vontade.

Feliz com Jesus 04/09/2009

Posted by Bruno Flávio in 1.
2 comments
spafford

spafford

“Feliz com Jesus”, essas parecem ser palavras fáceis de serem ditas por alguém que tem tudo fácil na vida, que não passa por problemas, não tem provações e pecados para resistir. Talvez essa seja a primeira impressão que você tenha ao ouvir a história de Horatio G. Spafford , um conhecido Advogado de Chigago em meados de 1860 a 1870.

Spafford era sem dúvida um homem de sucesso, não só por seu sucesso profissional, mas por sua dedicação a Deus. Spafford era um ativo cristão evangelista e sempre que possível ajudava seu amigo famoso, o grande evangelista Moody.

Mas assim como no caso de Jó, Deus permitiu que a vida de Spafford fosse tocada, fosse afetada, e então em 1870 Spafford teve sua primeira grande provação. Seu filho de apenas 4 anos acabaria por morrer de escarlatina. Como se não bastasse apenas um ano depois ele perderia quase tudo que tinha em um grande incêndio.

O advogado então decidiu dar um tempo a sua família, afinal estavam passando por fortes dificuldades, e em 1874 decidiu tirar férias na Inglaterra, onde também iriam ajudar o amigo evangelista, mas na última hora Spafford teve que sair para tratar de negócios e, como não queria estragar as férias da família, combinou com sua família que iria mais tarde.

O que viria acontecer em seguida iria afetar a vida de Spafford  e de vários cristãos em todos os tempos. Nas palavras de Ira David Sarkley, amigo de Spafford e grande músico (autor de “fé é a vitória”)  :

“Quando Moody e eu realizávamos reuniões em Edinburgo, em 1874, ouvimos as tristes notícias do naufrágio do vapor francês “Ville de Havre”, em seu retorno da América, com grande número de membros do Concílio Ecumênico que havia sido realizado em Filadélfia. A bordo do vapor estava a Srª Spafford, com seus quatro filhos. A colisão fora em alto mar com um grande navio, fazendo com que o vapor afundasse em meia hora. Quase todos a bordo morreram. A Srª Spafford tirou seus filhos dos beliches e os levou para o convés. Tendo sido avisada de que o vapor em breve afundaria, ela ajoelhou-se com seus filhos em oração, pedindo a Deus que fossem salvos se possível, ou que se conformassem em morrer, se essa fosse a Sua vontade. Em poucos minutos o vapor imergiu para as profundezas do mar, e as crianças se perderam. Um dos marinheiros, chamado Lockurn, – com quem me encontrei mais tarde na Escócia – ao remar sobre o local onde desaparecera o vapor, descobriu a Srª Spafford flutuando. Dez dias mais tarde ela desembarcou em Cardiff, Wales. De lá telegrafou ao marido, advogado em Chicago, a mensagem: “Salva sozinha”.”


A senhora Spafford diria mais tarde que sua última lembrança foi a de ter seu bebê arrancado de seus braços pela força das águas.

(Talvez agora as palavras “Feliz com Jesus” não pareçam ter tanto sentido.)

Tão logo soube da noticia Spafford pegou um navio para ver sua esposa. E durante a viagem foi surpreendido por um anuncio do capitão do navio ““Um cálculo cuidadoso foi feito e eu creio que estamos agora passando pelo lugar onde o de Havre naufragou. A água tem três milhas (4,82 km) de profundidade.”

Spafford, atordoado e não conseguindo dormir,  então se inclinou sobre uma pequena folha naquele navio quilômetros acima dos corpos de seus filhos, e escreveu as seguintes palavras que mais tarde se tornariam o famoso hino “It´s Well Whith my Soul” que é conhecido como “Sou feliz com Jesus” número 230 de nosso hinário:

Quando a paz, como um rio, visitar meu caminho,
Quando tristezas me agitarem como ondas do mar,
Qualquer que seja minha porção, Tu me ensinaste a dizer:
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma!
Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.

Embora Satanás possa me esbofetear, embora provações possam vir,
Deixo essa bendita segurança me controlar:
Que Cristo considerou meu estado desamparado,
E verteu Seu Próprio sangue por minha alma.

Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.
Meu pecado – oh, bênção deste glorioso pensamento –
Meu pecado, não em parte, mas totalmente,
Está pregado na cruz, e eu não o carrego mais:
Louva ao Senhor, louva ao Senhor, oh, minha alma!


Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.

E, Senhor, vem o dia quando minha fé será vista.
As nuvens serão enroladas como um pergaminho,
A trombeta ressoará e o Senhor descerá,
E mesmo então, tudo está bem em minha alma.

Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.

Spafford sabia que esse mundo era cheio de tristezas e de dores, mas também sabia que era possível em meio disso tudo ser feliz pela fé, pela fé que Deus nos ama e nos salvou.

Reality show turco tentará converter ateus 30/08/2009

Posted by Bruno Flávio in Notícias, Novidades.
add a comment

reality show

.

O novo programa, chamado Tövbekarlar Yarisiyor (algo como “Penitentes Competem”, em tradução livre) coloca juntos um imã, um rabino, um monge budista e um sacerdote da Igreja Ortodoxa Grega que tentarão converter dez competidores.

Os participantes ateus foram avaliados cuidadosamente por uma equipe de teólogos para garantir que não tenham nenhuma fé. A cada episódio, o imã, o rabino, o sacerdote e o monge tentarão convencer os competidores ateus a respeito dos méritos de suas religiões.

De acordo com o jornal turco Hurriyet, os produtores do programa reconhecem que há uma grande chance de que nenhum dos ateus seja convertido.

Mas, se alguém for verdadeiramente convertido a uma religião, será enviado a uma peregrinação. Para os convertidos ao islamismo, a viagem será para Meca, budistas irão para o Tibete e os convertidos ao Judaísmo ou ao Cristianismo, para Jerusalém.

As câmeras do canal de televisão seguirão os competidores vencedores nestas peregrinações. “Eles não podem encarar isso como uma simples viagem, mas como uma experiência religiosa”, afirmou ao jornal Hurriyet Ahmet Ozdemir, vice-diretor do Kanal T, canal de televisão que produz o programa.

Propaganda e ”serenidade”

As propagandas para o programa prometem que será dado ao convertido “o maior prêmio de todos; nós representamos a crença em Deus. Acredite, arrependa-se, Deus irá perdoar”.

Mas os produtores afirmam que o programa também ajudará os competidores a “encontrar a serenidade”, além de aumentar o conhecimento sobre as religiões.

O programa já gerou várias reações na Turquia, um país de maioria muçulmana. Alguns afirmam que será bom para as relações entre as religiões e outros disseram que este tipo de discussão “não é apropriado” para a televisão.

Ozdemir, por sua vez, afirmou que quando as pessoas ouviram falar do programa pela primeira vez, “foi difícil para elas compreenderem sobre o que era”, mas muitos agora estão “esperando impacientemente” pelo lançamento do programa. “As pessoas são livres para acreditarem do que quiserem. Nosso programa não vai decidir”, acrescentou.

Fonte: BBC

Salmo 37 e os rumos da vida. 22/08/2009

Posted by Bruno Flávio in Artigos.
Tags: , , , ,
3 comments

direção copy

Uma vez li que existem poucas coisas certas na vida, e uma delas é que a vida sempre toma rumos inesperados e que as coisas nunca acontecem realmente como esperávamos. E como viver sem saber o rumo que a nossa vida vai tomar? como viver sem saber a direção da nossa vida? a resposta é simples: Fé!

E é sobre isso que o Salmo 37 fala : Crer que Deus cuidará de você apesar das mudanças da vida. Ele fala que hoje você pode estar seguindo rumos indesejados, mas com Deus tudo vai terminar bem!

Salmo 37 – Paráfrase


Que Deus seja o motivo da sua alegria! Ele Vai realizar os seus sonhos. Confie em Deus, Faça o que Ele pede e espera de você porque Ele não vai te decepcionar!

Não adianta ficar nervoso por causa dos que vencem na vida, nem ter inveja dos que conseguem realizar seus sonhos por meios duvidosos. Paciência… Paciência, pois o Senhor Deus cuidará disso pra você. Não fique com raiva, não fique nervoso, isso só vai piorar as coisas, confie em Deus, o SENHOR, e Ele fará tudo o que prometeu. Descanse em Deus, confie nEle e saiba… Um dia essas pessoas não vão ter nada, vão apenas sumir junto com tudo o que conseguiram, Mas se você for humilde, vai ter a felicidade de ver Deus realizando seus sonhos.

Deus conhece o final de quem age errado, Ele sabe que as escolhas que eles fazem podem parecer espertas, mas são essas escolhas que vão levá-los a derrota e a perdição.

É muito melhor ser correto e não ter tudo o que você quer do que ser mau e ter riquezas. Isso porque Deus cuida dos corretos todos os dias; O céu, e as promessas de Deus serão deles para sempre, porque Deus é quem vai manter suas vitórias para que não se desfaçam. Eles não vão sofrer quando tudo estiver difícil e não passarão fome.

Aqueles que são abençoados por Deus terãoa felicidade de ver seus sonhos realizados  viverão em segurança no Céu, terão o que Deus prometeu.

Deus vai te ajudar nas escolhas que você deve tomar e vai te proteger, não porque é obrigação dEle, mas porque Ele te ama. Talvez você acabe caindo, falhando. Talvez tudo de errado na sua vida, mas se isso acontecer, o Senhor vai te ajudar a se levantar. Apenas faça o que você sabe que é correto, faça o bem e você terá todas essas promessas. Apenas Siga o que a bíblia fala e nunca se afaste dela!

Deus não vai abandonar você quando os problemas vierem, Ele sempre vai te defender! Acredite nisso!! Acreditem Em Deus!! Ponha a sua esperança no SENHOR e obedeça aos seus mandamentos. Ele vai realizar muito mais do que você um dia sonhou, ao contrário dos maus que terão apenas dor e sofrimento. O SENHOR Deus salva do perigo os que são bons e os protege quando estão tristes e preocupados.

Talvez você veja tudo ao redor e ache que sua vida não da certo, talvez você ache que deva fazer algo errado para ser feliz, afinal muitos são “felizes” assim. Mas não se engane. Por mais que pareça que abandonar tudo dê certo, todos os que fizeram isso se deram mal, acabaram como perdedores.

O SENHOR Deus vai te ajudar e vai livrar você de qualquer problema! Ele vai Salvar você! Confie nEle!

Texto: Bruno Flávio C. Lopes

Isso é Guerra! 20/08/2009

Posted by Bruno Flávio in Links interessantes.
Tags: , , ,
2 comments

Esse vídeo desperta em nós a lembrança de para que fomos chamados a esse mundo e qual é a nossa verdadeira missão: A Guerra contra o mau!

Efésios 6:12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.


Fé e lógica 16/08/2009

Posted by Vanessa Meira in 1.
1 comment so far
Fé e Lógica

Fé e Lógica

É comum ouvir da boca de cristãos e ateístas que “Deus não tem lógica” (claro que com enfoques diferentes).

A impressão que se tem é que o cristianismo seria uma espécie de religião de emoções, subjetiva, irracional.

Nada é mais equivocado!

No início do evangelho de João lemos que “no princípio era o Logos, o Logos estava com Deus, e o Logos era Deus”.

Sim, Logos é a raiz grega de “lógica”.

O Senhor é o “Deus da verdade” (Sl 31:5); o “Espírito é a verdade” (1 Jo 5:6); o “seu entendimento é infinito” (Sl 147:5) e Ele “é o Deus da Sabedoria” (1 Sm 2:3).

Os princípios bem conhecidos da lógica clássica são:
1) principio da identidade
2) princípio da não-contradição
3) princípio do terceiro excluído.

Todos eles podem ser deduzidos a partir da Bíblia, e aplicados a ela mesma.

Deus não é irracional, mas nos convida:
“vinde e arrazoemos” (Is 1:18).
E nos ordena a estarmos preparados para dar a “razão da esperança” que há em nós (1 Pe 3:15).
A palavra razão aí é Logos.

Portanto longe de ser irracional, o cristianismo é perfeitamente lógico, pois Deus é lógico.
A nossa incompetencia intelectual não deveria comprometer essa verdade.

Cristo nao voltou! 10/08/2009

Posted by Bruno Flávio in 1.
1 comment so far

voltajesus

Era um dia frio do outono americano, mas o frio não era suficiente para apagar a chama de sua fé. Carlos Fitch,resolveu, apesar do frio, batizar varias pessoas em um rio preparando-as assim para a volta de Cristo.

No Dia seguinte, por causa do frio congelante, Carlos morre.

Mas o mais incrível é que se você fosse até a casa daquela família, não encontraria lagrimas, encontraria muita alegria. Ali você não veria luto, choro ou roupas pretas, mas sim pessoas muito alegres e felizes como se algo maravilhoso tivesse acontecido. A pergunta é: Porque tanta alegria?

Talvez a resposta para essa pergunta seja a mesma resposta que a Senhora Fitch deu a sua filhinha quando ela pergunta: “Mãe, cadê o papai?”.  A resposta daquela mãe foi :  “Não se preocupe filhinha…Daqui a Alguns dias quando Jesus voltar veremos o papai novamente”.

Aquela família estava feliz porque confiava de todo o coração que veria seu pai dentro de alguns dias na volta de Cristo, quando a morte não existiria mais.

-Carlos Fitch morreu em 14 de outubro de 1844, apenas a alguns dias antes do dia em que milhares de pessoas acreditaram que Cristo iria voltar. A grande decepção.-

Pensando naquela família eu me pergunto… Será que vivemos como se Cristo fosse voltar? Aquelas pessoas acreditavam tanto na volta de Cristo que, apesar dos problemas, estavam felizes na esperança. E mesmo depois que Cristo não veio eles continuaram com esperança. Será que fazemos o mesmo?  Ou será que vivemos como se a volta de Cristo não passasse de uma lenda, de ficção?

Será que vivemos como se a volta de Cristo REALMENTE estivesse próxima?

Hoje você pode, assim que ler esse texto, sair para a sua vida e viver como se Cristo nunca fosse voltar, pode se deixar levar pela vida e pelas suas vontades. Ou pode deixar que a volta de Cristo seja o norte que guie a sua vida, seja o que vai mostrar o que realmente tem valor para você!  Pode viver com esperança!

Mas talvez você esteja pensando “Mas… Cristo não veio, aquela menina morreu e Cristo não veio…”. É verdade Cristo não veio, ainda. Mas a cada novo dia que nasce Cristo se aproxima da terra, a cada nova manhã a família Fitch fica mais próxima de se encontrar novamente, A cada nova manhã se aproxima o dia onde não haverá mais choro, dor, depressão, pobreza, medo, vergonha. A cada nova manhã.

Mas e para você? O que se aproxima a cada nova manhã? Mais um dia como tantos outros? Mais um dia em que você vai passar e dormir para um dia morrer? A escolha é sua, mas independente dela Cristo irá voltar.

Apocalipse 22:20 Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! vem, senhor jesus!

Absolutofobia no reino do Relativismo 09/08/2009

Posted by Vanessa Meira in Artigos.
Tags: , ,
1 comment so far
por Isaac Malheiros
Tudo é relativo?

Uma menina de dois anos foi condenada à morte na Amazônia, por não ter se desenvolvido fisicamente. A indiazinha Hakani ficou órfã, pois os pais se negaram a matá-la conforme a lei dos suruwahás e tomaram o veneno destinado a ela. O irmão mais velho ficou como responsável pela execução. Enterrou-a viva, mas alguém ouviu o choro abafado e a resgatou. Então foi escalado o avô, que atirou uma flecha na menina, mas vendo o sofrimento da pequena, suicidou-se. Hakani foi abandonada pela tribo, mas resistiu e sobreviveu como indigente comendo restos de comida e insetos por três anos. Então um irmão a levou a um casal de missionários que finalmente a resgatou e cuidou da menina[1].

Apesar do relato dramático, há quem não veja nada de errado no infanticídio. A justificativa: relativismo e respeito à cultura indígena. Sob a ótica relativista, os direitos humanos não poderiam ser aplicados aos indígenas, pois não fazem parte de sua tradição cultural e valores. Toda e qualquer prática e valor cultural são legítimos e devem ser preservados, pois o conceito de “certo” e “errado” é relativo àquela cultura. Em outras palavras: a morte de Hakani estaria justificada na Floresta Amazônica, mas seria crime numa cidade.

Certo ou errado: isso é sempre relativo? O relativismo é o pensamento que nega a existência de padrões absolutos, universais e imutáveis. Um relativista não crê na existência de verdades absolutas.

Infelizmente, esse pensamento tem encontrado eco entre cristãos. “Deus não é cristão” e “todos deveriam conhecer o Dalai Lama”, aconselhou Desmond Tutu numa reunião ecumênica em Porto Alegre[2]. Essas palavras e fatos não representariam preocupação, não fosse o cenário ecumênico e relativista em que surgiram. O antigo chavão “todos os caminhos levam a Roma” foi ampliado para “todos os caminhos levam a Deus”.[3].

Em nível individual, o relativismo manifesta-se na defesa de práticas contrárias aos princípios bíblicos (sexo pré-marital, intemperança, diversões impróprias, pornografia), justificadas com clichês como “eu acho que cada um, cada um”. No mundo físico, obviamente, existem absolutos: um poste diante de um carro em alta velocidade ou o chão num salto sem pára-quedas. Mas o mundo das crenças e convicções está submerso num mar de relativismo [4], gerando uma religião individual, self-service, com princípios maleáveis, ao gosto do “cliente”.

O relativismo atingiu até mesmo o ateísmo. O chamado neo-ateísmo não afirma categoricamente que Deus não existe. O que se afirma hoje em dia é que “provavelmente Deus não existe”[5]. A histórica distinção entre agnosticismo e ateísmo foi suavizada, pois o ateísmo deixou de ser encarado como um tipo de verdade absoluta[6].

A situação atual está bem descrita em Juízes 21:25: “Naqueles dias não havia rei em Israel; porém cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos”. Onde não há um padrão objetivo, a subjetividade (opinião e gosto pessoal) torna tudo lícito e desfaz a fronteira entre certo e errado.

A Verdade Absoluta existe

No entanto, não há lógica no pensamento relativista. Se você disser que “não existe verdade absoluta”, então a sua própria frase não é verdadeira. Você precisa provar que é absolutamente verdade que não exista verdade absoluta.

Porém, se o seu argumento estiver certo, ele refuta a si mesmo. E se ele estiver errado, então existe verdade absoluta. A existência da verdade absoluta traz esse problema: você teria que afirmá-la para negá-la. Para acabar com ela, você teria primeiro que concordar com ela. Ou seja: pra você estar certo, você teria que estar errado! Essa confusão demonstra o que é um mundo filosófico e intelectual sem Deus.


O relativismo dá a falsa impressão de que é possível todos estarem certos. Mas há opiniões tão contraditórias que admitir que talvez todos estejam certos é um absurdo ilógico [7]. Respeitar as opiniões diferentes não significa admitir que “tanto faz, pois todos estão certos”[8].

O curioso é que o relativismo está tão cristalizado que tem se tornado uma forma de absolutismo dogmático: se você tem opiniões bem definidas sobre Deus e a Bíblia, logo sentirá que nem tudo é “relativo” e receberá rótulos como “fundamentalista”, “fanático” ou “intolerante”. Ser relativista se tornou uma verdade absoluta e “não tenha dogmas” se tornou um dogma relativista – nada mais contraditório!

O conceito de Verdade Absoluta é bíblico

A Bíblia lida com verdades absolutas: “Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos” (Ml 3:6).

A sua lei é eterna, bem como suas Palavras (Mt 24:35). Deus estabeleceu a diferença absoluta e não-relativa entre a luz e as trevas: “Deus é luz e nele não há treva alguma” (1 Jo 1:5)). E deixa bem claro que quem não segue sua Palavra está nas trevas (Is 8:20).

Um adventista não deveria pensar que ser cristão é apenas uma questão de opinião pessoal. Em termos espirituais, só existem duas classes de pessoas: os filhos da luz e os filhos das trevas. E, ao contrário do que prega o relativismo, é impossível que luz e trevas estejam com a razão ao mesmo tempo. Cristãos relativistas não poderiam ser sal da terra e luz do mundo relativizando o sal e a luz (Mt 5:13 e 14).

Deus tem um padrão, e não deixa a definição ao sabor das opiniões pessoais: “Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo” (Is 5:20). Longe de ser uma questão subjetiva, ser cristão é ter a Bíblia como Palavra de Deus, única regra de fé e prática para a vida inteira.

 

A Verdade Absoluta é essencial

No outro extremo do relativismo está o dogmatismo antibíblico, que usa as Escrituras apenas para endossar opiniões humanas. Versos bíblicos descontextualizados e citações distorcidas dos Testemunhos de Ellen White não tornam opiniões humanas um “assim diz o Senhor”.

Não é relativismo discutir se Kaká é melhor que Cristiano Ronaldo, discutir reformas e mudanças na liturgia (dentro dos parâmetros bíblicos), ou (para citar um exemplo teológico) discutir a correta identificação das “sete cabeças” de Apocalipse 17[9]. Esse temas não são essenciais. A verdade absoluta não nega a diversidade e a individualidade, mas nos liberta de dogmas humanos (Jo 8:32).

O problema surge quando, na tentativa de sufocar o relativismo, fossilizam-se tradições e normas em torno de princípios legítimos, gerando confusão entre o que é essencial e o que é periférico no cristianismo. Por isso, identificar o que são princípios bíblicos inegociáveis e o que são assuntos secundários é de extrema importância [10]. Vale o clássico princípio popularizado por Agostinho de Hipona: “No essencial, unidade; no acidental, diversidade; em tudo, caridade”.

A Verdade Absoluta exige posicionamento

A verdade absoluta é Cristo e Sua Palavra (Jo 14:6). Não somos guiados pelo relativismo nem pelo dogmatismo humano, mas pelo claro e absoluto “assim diz o Senhor” (Pv 3:5).

Se Pilatos nos fizesse a pergunta “o que é a verdade” (Jo 18:38), mas dessa vez ficasse para ouvir a resposta, responderíamos com um “assim diz o Senhor” ou com um “eu acho que”?

Por que teríamos que aceitar qualquer versão do relativismo? É apenas um retrato do fracasso humano em fazer, sem Deus, afirmações verdadeiras sobre questões essenciais da vida. O relativismo é um pacote amorfo de contradições e confusões.

Nós cristãos não devemos ter parte nisso, pois temos base sólida e firme nas Escrituras. Não aceitamos nenhuma espécie de relativismo, pois existe verdade absoluta em temas essenciais. Sendo assim, posicione-se!

Isaac Malheiros é pastor-capelão do Colégio Adventista de Indaial (SC)
__________________________________________________________
[1] http://hakani.org/pt/historia_hakani.asp
[2] http://www.achanoticias.com.br/noticia.kmf?noticia=4301589 , acessado em 5 de Fevereiro de 2009.
[3] De acordo com a Bíblia, Jesus é o único caminho a Deus (Jo 14:6).
[4] William G. Johnsonn, “Awash in a sea of relativism”, Adventist Review, Agosto de 1997, p. 5.
[5] Mensagem de campanha publicitária em ônibus na Inglaterra. http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u458981.shtml
[6] Dawkins, Richard. Deus, um delírio (São Paulo: Companhia das Letras, 2007), pp. 80, 212 e 213. “Acho que Deus é muito improvável e levo minha vida na pressuposição de que ele não está lá”, 80. “Deus não existe quase certamente”, 212 e 213
[7] É impossível, por exemplo, espíritas e adventistas estarem simultaneamente corretos sobre o estado dos mortos.
[8] É claro que existem assuntos não-essenciais e questões de consciência, nos quais podemos discordar sem comprometer as crenças fundamentais.
[9] O Comentário Bíblico Adventista considera que a evidência é insuficiente para garantir uma identificação dogmática delas. Isso significa que a questão está aberta à discussão. “Siete cabezas” [Ap 17:9]. Comentario biblico Adventista del Séptimo Dia. Editado por . F. D. Nichol. (Boise: Pacific Press, 1985). 7:866.
[10] Ellen White aconselha a não perdermos tanto tempo em “questões de difícil compreensão, que afinal de contas não têm importância vital”, pois essas coisas tendem a “desviar a mente das verdades vitais para a salvação da alma”. White, E.G. Evangelismo (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1985), p. 182.

Somos naturalmente musicais… 04/08/2009

Posted by Vanessa Meira in Novidades.
1 comment so far

Bobby McFerrin usa a platéia para demonstrar o poder natural da escala pentatônica.
Uma demonstração impressionante da capacidade musical que naturalmente possuímos.
Segundo ele, isso funciona em qualquer lugar (não importa a cultura).

fonte: http://vanessinhameira.blogspot.com/

O Fazendeiro e Deus 02/08/2009

Posted by Vanessa Meira in Dicas de filmes.
2 comments

o-fazendeiro-e-deus

 

Assisti recentemente, um filme baseado em fatos reais adaptado a partir do livro Faith like Potatos, que conta a historia de Angus Buchan.

Ele era um fazendeiro fracassado de origem escocesa que se mudou para a África do Sul com a família e sofreu uma série de perdas que o deixaram depressivo, agressivo e sem esperança.

Homem rude e grosseiro, ele se converte, descobre o propósito divino de sua vida e usa seu “jeitão” para testemunhar de sua nova fé.

É uma historia comovente a respeito da simplicidade e firmeza da verdadeira fé.

Retendo o que é bom:  há apenas uma cena questionável do ponto de vista doutrinário, onde a doutrina da imortalidade incondicional da alma é sugerida.

Aplicação: quem planta batatas investe em raízes invisíveis cujos resultados só se tornam visíveis na hora da colheita. Você as coloca no solo, cobre com terra e ora por chuva.  Ao contrario de outras plantações, você não tem indicação visível do que ocorre silenciosamente embaixo da terra. Você vive na esperança de uma boa colheita.

Plantar batatas simboliza o viver pela fé.  Por isso, o titulo original faz mais sentido (Fé como batatas).

O filme pode gerar uma boa discussão a respeito da Fé.

Sugestão para questionamentos em grupo:

1. Deus desafia Angus a se tornar um `louco` por Ele, sujeito a criticas e zombarias. Qual a coisa mais “louca” que você já fez a serviço do Evangelho? Quais foram os resultados? (1 Co 4:10)

2. Deus responde as orações de Angus de maneira milagrosa, com uma notavel exceção. Como o silencio de Deus pode falar tão poderosamente quanto sua ação direta?

3. O trabalho consome Angus, e conforme ele continua trabalhando apenas para si ele se estressa, fica nervoso e infeliz. Enquanto trabalhar para Cristo trouxe alegria e liberdade. Como você pode transformar seu trabalho em um trabalho de amor que glorifique a Deus? faithlikepotatoes-1