jump to navigation

Feliz com Jesus 04/09/2009

Posted by Bruno Flávio in 1.
trackback
spafford

spafford

“Feliz com Jesus”, essas parecem ser palavras fáceis de serem ditas por alguém que tem tudo fácil na vida, que não passa por problemas, não tem provações e pecados para resistir. Talvez essa seja a primeira impressão que você tenha ao ouvir a história de Horatio G. Spafford , um conhecido Advogado de Chigago em meados de 1860 a 1870.

Spafford era sem dúvida um homem de sucesso, não só por seu sucesso profissional, mas por sua dedicação a Deus. Spafford era um ativo cristão evangelista e sempre que possível ajudava seu amigo famoso, o grande evangelista Moody.

Mas assim como no caso de Jó, Deus permitiu que a vida de Spafford fosse tocada, fosse afetada, e então em 1870 Spafford teve sua primeira grande provação. Seu filho de apenas 4 anos acabaria por morrer de escarlatina. Como se não bastasse apenas um ano depois ele perderia quase tudo que tinha em um grande incêndio.

O advogado então decidiu dar um tempo a sua família, afinal estavam passando por fortes dificuldades, e em 1874 decidiu tirar férias na Inglaterra, onde também iriam ajudar o amigo evangelista, mas na última hora Spafford teve que sair para tratar de negócios e, como não queria estragar as férias da família, combinou com sua família que iria mais tarde.

O que viria acontecer em seguida iria afetar a vida de Spafford  e de vários cristãos em todos os tempos. Nas palavras de Ira David Sarkley, amigo de Spafford e grande músico (autor de “fé é a vitória”)  :

“Quando Moody e eu realizávamos reuniões em Edinburgo, em 1874, ouvimos as tristes notícias do naufrágio do vapor francês “Ville de Havre”, em seu retorno da América, com grande número de membros do Concílio Ecumênico que havia sido realizado em Filadélfia. A bordo do vapor estava a Srª Spafford, com seus quatro filhos. A colisão fora em alto mar com um grande navio, fazendo com que o vapor afundasse em meia hora. Quase todos a bordo morreram. A Srª Spafford tirou seus filhos dos beliches e os levou para o convés. Tendo sido avisada de que o vapor em breve afundaria, ela ajoelhou-se com seus filhos em oração, pedindo a Deus que fossem salvos se possível, ou que se conformassem em morrer, se essa fosse a Sua vontade. Em poucos minutos o vapor imergiu para as profundezas do mar, e as crianças se perderam. Um dos marinheiros, chamado Lockurn, – com quem me encontrei mais tarde na Escócia – ao remar sobre o local onde desaparecera o vapor, descobriu a Srª Spafford flutuando. Dez dias mais tarde ela desembarcou em Cardiff, Wales. De lá telegrafou ao marido, advogado em Chicago, a mensagem: “Salva sozinha”.”


A senhora Spafford diria mais tarde que sua última lembrança foi a de ter seu bebê arrancado de seus braços pela força das águas.

(Talvez agora as palavras “Feliz com Jesus” não pareçam ter tanto sentido.)

Tão logo soube da noticia Spafford pegou um navio para ver sua esposa. E durante a viagem foi surpreendido por um anuncio do capitão do navio ““Um cálculo cuidadoso foi feito e eu creio que estamos agora passando pelo lugar onde o de Havre naufragou. A água tem três milhas (4,82 km) de profundidade.”

Spafford, atordoado e não conseguindo dormir,  então se inclinou sobre uma pequena folha naquele navio quilômetros acima dos corpos de seus filhos, e escreveu as seguintes palavras que mais tarde se tornariam o famoso hino “It´s Well Whith my Soul” que é conhecido como “Sou feliz com Jesus” número 230 de nosso hinário:

Quando a paz, como um rio, visitar meu caminho,
Quando tristezas me agitarem como ondas do mar,
Qualquer que seja minha porção, Tu me ensinaste a dizer:
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma!
Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.

Embora Satanás possa me esbofetear, embora provações possam vir,
Deixo essa bendita segurança me controlar:
Que Cristo considerou meu estado desamparado,
E verteu Seu Próprio sangue por minha alma.

Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.
Meu pecado – oh, bênção deste glorioso pensamento –
Meu pecado, não em parte, mas totalmente,
Está pregado na cruz, e eu não o carrego mais:
Louva ao Senhor, louva ao Senhor, oh, minha alma!


Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.

E, Senhor, vem o dia quando minha fé será vista.
As nuvens serão enroladas como um pergaminho,
A trombeta ressoará e o Senhor descerá,
E mesmo então, tudo está bem em minha alma.

Tudo está bem (tudo está bem),
Em minha alma (em minha alma).
Tudo está bem, tudo está bem em minha alma.

Spafford sabia que esse mundo era cheio de tristezas e de dores, mas também sabia que era possível em meio disso tudo ser feliz pela fé, pela fé que Deus nos ama e nos salvou.

Anúncios

Comentários»

1. Ruth - 05/09/2009

Esta é uma fé muito especial. Uma fé inabalável, incondicional. Uma fé que se submete com uma confiança extrema… quase inatingível pela lógica humana.

Esta é simplesmente a fé perfeita. A fé que se fundamenta no conhecimento profundo, íntimo com Deus.

É a fé que devemos cultivar como cristãos, pois jamais Deus nos permitirá uma dor que nos seja em vão.

iris - 19/10/2010

q Deus seja lovado
amem


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: