jump to navigation

Os Neo-Hereges 23/05/2013

Posted by Bruno Flávio in Sem categoria.
Tags: , , , ,
add a comment

Imagem

Durante toda sua existência a igreja cristã enfrentou uma série de problemas. Um desses grandes problemas foi a heresia. Doutrinas erradas, contrárias à bíblia, mas que geralmente tinham uma mensagem interessante e uma lógica real. Eram mensagens agradáveis e que tinham todo um sentido, principalmente na ciência da época, a filosofia.

Uma das mais perigosas talvez tenha sido o Gnosticismo.  

Antagonistas da pregação de Paulo e de João que, conforme a tradição, os chamava de inimigos da verdade, o gnosticismo foi um espinho na carne do povo cristão que demorou a sair.

Ele tinha um forte apelo às mentes do povo. Era considerado especial, já que não era pra qualquer um. Apenas os “fortes”, os “superiores” eram gnósticos. Apenas os “superiores” conseguiam tirar as vendas de seus olhos e entender os significados secretos presentes nas escrituras.

Nessa fé havia um misto de pensamento místico e de aspectos espiritualistas. Acreditavam que o corpo, como todas as coisas materiais, era mau e o espírito era bom, e com base nisso colocavam uma série de coisas acima da mensagem da bíblia e deturpavam a hermenêutica dessa em seu benefício.

Não é atoa que muitos dos antigos mestres cristãos lutaram suas vidas inteiras para combater ideias gnósticas. Alguns deles pregavam coisas como que Jesus não era de fato Deus, ou que não era de fato homem. Falsos profetas se diziam “Porta-vozes do Espírito Santo” e jogavam por terra as escrituras ou ensinavam que a bíblia era cheia de códigos e segredos onde apenas os mais avançados podiam compreender.

Felizmente o gnosticismo e as outras heresias foram vencidas. Ao menos naquela época. Digo isso porque, se formos olhar ao redor, o mundo cristão está hoje mais parecido com o cristianismo dos gnósticos e dos demais hereges que os dos apóstolos.

Chamados “apóstolos” pregam que Jesus foi um ser criado, à semelhança dos Arianos[1]. Centenas de pastores, à semelhança dos montanistas, se dizem porta-vozes de Deus e, supostamente sendo receptores de revelação do Espírito Santo, jogam por terra as verdades escritas na bíblia. Evangelistas tentam mostrar, como os gnósticos, o quão “superiores” são em relação aos outros por meio de seus “poderes espirituais” e habilidades em dominar endemoniados.

Outros ainda vão mais longe e, ignorando o fato que Deus é um ser consciente, fazem uso de elementos místicos, como amuletos e orações decoradas, acreditando que por fazerem tal ritual, beberem tal agua, ou falaram com tal pastor vão receber o que pedem independente da vontade de Deus.

Outro dia desses recebi uma mensagem numa rede social de alguns colegas da igreja. Essa mensagem continha elementos da nova era e muitos elementos em comum com o gnosticismo[2], onde o texto apresentava Deus como de onde tudo havia emanado, onde se pedia para libertar do que afastava da verdadeira razão. A surpresa é que supostamente esse texto seria uma tradução mais acurada do pai nosso.

Não saberia dizer fiquei mais assustado com a ideia que algumas pessoas tem de como a bíblia realmente é, ou pela forma com que algumas pessoas aceitam conceitos tão contrários a bíblia de forma tão facilmente. No final das contas consegui apenas me lembrar das características do Gnosticismo.

A tendência a procurar algo secreto, superior. A negação dos aspectos reais da vida para uma visão meramente “espiritual” de tudo. A ideia que a bíblia que temos a mão não é a revelação mais sofisticada e final, todas estas características do pensamento gnóstico.

A verdade é que hoje temos em igrejas cristãs elementos que até pouco tempo eram renegados ao mais vil paganismo. Heresias pelas quais guerras foram travadas, povos foram destruídos, hoje circulam com a etiqueta do “eu acho” ou do “faz sentido” como se não tivessem a menor importância ou perigo.

Agora não pense que estes elementos estão presentes apenas em igrejas pentecostais mais exageradas. A mesma pregação alegorista que fez surgir essas heresias, onde cada dá ao texto bíblico o sentido que se quer, não poucas vezes ecoa de púlpitos protestantes. As ideias místicas de amuletos muitas vezes impregnam nossas cestas de oração, assim como o pensamento mágico enche nossas madrugadas de oração, dando a fantasia que por fazer as coisas de determinada forma, e não pela vontade de Deus, teremos a resposta de nossos pedidos. A mesma lógica “científica” conciliadora que fez a filosofia grega pagã entrar no inicio da igreja cristã hoje coloca em cheque alguns termos da bíblia em prol da ciência.

A bíblia deve ser nosso ponto de partida, nosso guia e não apenas o nosso pano de fundo. Devemos nos ater a mensagem da bíblia e tê-la como ponto de partida e ponto de chegada. Não basta pregar usando a bíblia, devemos pregar a bíblia. Não basta usar a bíblia para chegar a conclusões, devemos nos ater as conclusões da bíblia.

Pouquíssimas heresias ignoraram a bíblia, mas todas elas quiseram ver a bíblia pelos olhos de outras filosofias ou pensamentos e algumas ignoraram partes da verdade por uma mentira conveniente. A bíblia e a filosofia não devem ser as nossas bases, a bíblia e a lógica humana não devem ser nossas bases, A bíblia e o que eu penso não devem ser as nossas bases. A bíblia e somente ela, por inteiro, deve ser nossa base.

Todas heresias deram mais valor ao pensamento “moderno” ou subjetivo que a verdade bíblica. É ingenuidade achar que seguindo por um mesmo caminho se chegará a um destino diferente. Se usarmos alguma outra coisa como base para interpretar a bíblia que não ela mesma poderemos afirmar qualquer coisa, independente de verdadeira ou não.

A bíblia deve ser nossa base segura, confiável, e resistente. Deve ser o nosso guia claro e objetivo. Apenas assim poderemos dizer com confiança que o Gnosticismo, o Misticismo e tantas outras doutrinas que foram inimigas da verdade a milênios atrás foram vencidas.

 


[1] O documento do “Apostolo” em si já foi retirado mas ainda existem relatos mostrando como no sites < http://www.jornaloevangelista.com/2012/01/apostolo-valdemiro-santiago-afirma-que.html > ou < http://www.genizahvirtual.com/2012/01/valdemiro-santiago-prega-heresia-ariana.html >

[2] OLSON, Roger. História da teologia Cristã. Editora vida acadêmica. 1999. Pg 29.

Anúncios

O Preço do Seu Sorriso 08/01/2010

Posted by Bruno Flávio in 1.
Tags: , ,
1 comment so far

Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens.

1 Coríntios 7:23

Acredite em Milagres. 05/12/2009

Posted by Bruno Flávio in 1.
Tags:
add a comment

Vamos começar com uma experiência. Para que faça algum sentido é essencial que você a faça antes de ler o restante do texto.

Primeiro pegue qualquer objeto que esteja próximo de você, pode ser essa caneta ou a sua carteira mesmo. Agora segure esse objeto na mão a uma altura razoável, fez?  Ótimo exatamente desta maneira… Agora deixe cair.

O que aconteceu com esse objeto? Ele caiu? Respondam-me, se ele realmente caiu isso seria um milagre? Não!? Por quê?

E se você avançar com um trator enorme pela parede mais próxima? Seria um milagre se ela caísse? Não seria milagre nenhum?! Por quê?

O dicionário define milagre como sendo um “fato sobrenatural , oposto as leis da natureza”, ou seja algo que acontece além do padrão natural das coisas, algo que foge do comum, algo normalmente impossível. Sendo assim se eu jogar um objeto e ele cair, esta apenas seguindo o curso natural das coisas, agora se eu deixar um objeto cair e ele sair voando, isso sim seria um milagre. Da mesma forma que se espera que um trator derrube uma parede, mas não que um grupo de pessoas gritando derrube uma muralha.

Alias… Você provavelmente já ouviu uma história assim não é? Um grupo de pessoas derrubando uma muralha no grito.

A bíblia traz essa história e mais uma centena de outras, mas há um capítulo em especial que Paulo conta desses milagres como quem faz um discurso encorajador. Hebreus 11.

Quando Leio Hebreus 11 me sinto como alguém ouvindo um presidente fazendo um discurso antes de ir para uma batalha, imagino uma música heróica no fundo e um exército ouvindo, poucos instantes antes de ir à batalha. Paulo dá a receita para os milagres, fala “ Pela Fé..” e segue com os maiores milagres da bíblia , como a criação, a abertura do mar vermelho, a fuga do Egito, queda dos muros de Jericó e etc.

Mas o que vem a ser fé? Muitos tem na ponta da língua Hebreus 11:1, tem até uma musica com essa letra: “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” . Com base nesse verso muitos chegam à conclusão: Fé é acreditar no que não se vê!

Acreditar no que não se vê? Ora então se eu estou falando com uma pessoa e fecho meus olhos eu estou tendo fé? Se eu digitar sem olhar para o teclado eu estou exercitando minha fé? Se fosse assim qual seria o sentido de versos como o de Romanos 3:28 (Pois sustentamos que o homem é justificado pela fé, independente da obediência à Lei.) e tantos outros que falam da importância da fé.

Há lógica em afirmar que por eu saber digitar ou andar no meu quarto de olhos fechados eu serei justificado ou salvo? A fé bíblica não é algo tão pequeno.

No original o verso ficaria mais ou menos assim:

Ora, a fé é o firme fundamento (Hoopostasis: certeza, coisa que se possa sustentar, base, estrutura, substância, essência) das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Blepo: Ver, entender, sentir, conhecer, experimentar).

Em miúdos fé é ter certeza, confiar, saber que se pode ter como base em coisas que não são possíveis de se explicar, coisas que não se conhecem, coisas nunca experimentadas antes, coisas que fogem dos padrões da normalidade.

Vocês já ouviram isso não é verdade? O que é uma coisa que não se experimentou? Uma coisa que foge aos padrões da normalidade, que não se pode explicar? Quanto acontece algo impossível temos o que? Sim!! Um Milagre!!

Basicamente Paulo em Hebreus 11:1 esta falando: “Fé é acreditar em milagres! “.

Com isso em mente você vai ler coisas do tipo “porque o povo acreditava em milagres ele atravessou o mar Vermelho como em terra seca; mas, quando os egípcios tentaram fazê-lo, morreram afogados.” Ou “  Não tenho tempo para falar de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas, os quais ,por acreditar em milagres, conquistaram reinos, praticaram a justiça, alcançaram o cumprimento de promessas, fecharam a boca de leões, apagaram o poder do fogo e escaparam do fio da espada; da fraqueza tiraram força, tornaram-se poderosos na batalha e puseram em fuga exércitos estrangeiros.”

Mas um discurso heróico não é um discurso heróico sem um final digno. E Paulo sabia isso tanto que terminou seu discurso da seguinte maneira:

Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé; no entanto, nenhum deles recebeu o que havia sido prometido. Deus havia planejado algo melhor para nós, para que conosco fossem eles aperfeiçoados. (Hebreus 11:39,40)

Sabe o que Paulo quis dizer? Sabe Moises que abriu o mar vermelho? Sabe Gideão que venceu uma guerra com poucos homens sem usar uma espada? Sabe todos estes homens que a bíblia fala que o mundo não era digno deles? Tudo o que eles fizeram foi incompleto, e foi incompleto porque por meio de nós eles seriam completados, seriam aperfeiçoados.

Se Paulo fosse o presidente, se Hebreus 11 fosse o discurso, nós seriamos o exercito, e hoje o que Paulo fala é:” Acredite em milagres!! Essa guerra já começou e teve seus heróis, mas tudo isso vai ser em vão se VOCÊ não lutar!”

Certas coisas são impossíveis:curar um câncer, um paralítico voltar a andar, mudar o caráter, abandonar as drogas, deixar o homossexualismo, restaurar um casamento destruído, esquecer traumas e abusos, pagar as dívidas a tempo e etc. Mas coisas impossíveis acontecem e tem um nome: milagres. E Deus em Hebreus 11 diz : Acredite em milagres e eles acontecerão.

Para Deus tudo é possível, basta acreditar, basta que você tenha Fé!

Termino então com o apelo: hoje… Acredite em milagres!

“Eu, porém…” Miquéias 7:1-7 27/11/2009

Posted by Vanessa Meira in Artigos.
1 comment so far

Miquéias detona no capítulo 7!
Ele fala a situação real, com a autoridade que os profetas de verdade tem.
Confira:

1 Ai de mim! Sou como um homem faminto que depois da colheita procura figos nas figueiras e uvas nas parreiras, mas não encontra nada porque todas as uvas e todos os figos maduros foram colhidos.

Você já teve a sensação de estar num deserto? Já passou por um período de esterilidade, onde nada parecia bom? Miquéias entende você.
Miquéias procura justiça, alguém para elogiar, para admirar, para se aproximar.
No entanto, só encontra folhas, e nenhum fruto.

2 No país inteiro não há uma só pessoa honesta, nem uma que obedeça a Deus. Todos estão procurando matar os outros; cada um procura pôr o seu patrício na cadeia.

Uau! Onde e quando foi escrito isso? Em Brasília? No Senado? Nada poderia ser mais atual!
Lembre-se apenas que Miquéias está falando do suposto “povo de Deus”.
Miquéias fala da igreja. No país inteiro significa “em toda a igreja, em todo o mundo cristão”.
Honestidade para o cristão é obrigação, não é um “extra” opcional. Obediência é algo tão natural como respirar. E Jesus deixou claro que odiar também é matar.
Deus olha para a igreja e desafia: Dai voltas às ruas de Jerusalém; vede agora, procurai saber, buscai pelas suas praças a ver se achais alguém, se há um homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela.

3 Todos estão prontos para fazer o que é mau. Autoridades exigem dinheiro por fora, e juízes recebem presentes para torcer a justiça. Os poderosos contam como vão satisfazer os seus maus desejos. Todos planejam fazer coisas más.

Que tipo de sociedade é essa onde os maus contam seus planos, onde os golpistas se gabam de sua esperteza?
Experimente dizer que devolveu o dinheiro juntamente com a carteira que você encontrou. Vão rir de você, ou vão chamar a mídia pra fazer um documentário sobre honestidade.
Experimente contar ao futuro comprador do seu carro a quilometragem correta e o real estado do motor. Ele vai rir de você e a sua fama de “trouxa” se espalhará no mercado.

A “lei de Gérson” (o importante é levar vantagem em tudo) encontra solo fértil no cristianismo nominal.

4 Mesmo as melhores pessoas, as que são mais honestas, não valem mais do que espinheiros. Mas está chegando o dia em que Deus vai castigá-los, conforme os vigias dele, isto é, os profetas, anunciaram. Naquele dia, haverá confusão geral.

Parece que Miquéias tenta olhar com otimismo.
Parece que ele consegue detectar uma exceção.
Não. É só aparente.
As pessoas mais honestas da igreja são desagradáveis. Espinhos são duros e machucam.
“Aquele ali é crente! É honesto. Mas não chegue perto dele, se não você vai se ferir”.
Crente chato, cristão mala, inconveniente, que confunde santidade com arrogância e quer a todo custo chamar o pecado das pessoas pelo nome.
Fomos chamados para dar sabor à vida das pessoas.
Somo a luz e o sal, não as trevas e o vinagre.

5 Não acreditem nos vizinhos, nem confiem nos amigos. Cada um tome cuidado até com o que diz à sua mulher.

Esse é um alerta para o crente “Poliana Menina”, que acha tudo um mar de rosas.
Não é sábio ser um crente de plástico que anda rindo o tempo inteiro, que leva ao pé da letra o hino “sempre alegre”, que não vê maldade em nada.
Esse verso é para aqueles que sempre reclamam do prejuízo que tomaram por confiar demais, por esperar demais das pessoas.
Falta a prudência da serpente a essas pessoas.
Se os versos anteriores falavam do crente mau-caráter, esse verso é um alerta para o bobo-alegre: Fica esperto! Julgue!
Devemos julgar sim! Mas isso fica para um outro post.

6 Pois hoje em dia os filhos desprezam os pais, as filhas desobedecem às mães, e as noras brigam com as sogras; e os piores inimigos de qualquer pessoa são os próprios parentes.

Falou da sogra!!!
Descreveu com exatidão o caos familiar!
Jesus repetiu essa idéia em Mateus 10:21, 35-36.
Se Jesus repetiu, é porque é sério.
Se você sofre perseguição dentro da sua própria casa, parabéns: bem-vindo ao time!

Mas após criar um clima tenso, descrever a situação tenebrosa e sem esperança que vivia, Miquéias olha pra cima…

Louvado seja Deus pelo verso 7!

7 Eu, porém, ponho a minha esperança em Deus, o SENHOR, e confio firmemente que ele me salvará. O meu Deus me atenderá.

Eu, porém…
Eu, porém…

Aleluia! Existe um “porém”.
Não desanime, não desista: existe um “porém”!

A minha esperança está em Deus. É pra Ele que vou olhar, não para a desgraça que me cerca.
É ao Senhor que vou clamar, não aos homens. NEle eu espero, e Ele me atenderá.

Que o Espírito Santo escreva um “porém” enorme no seu coração.
Seja você a exceção, a refutação das verdades indiscutíveis de uma sociedade podre.
Que você seja o “porém” de Deus!

Símbolos em miniatura 15/11/2009

Posted by Vanessa Meira in Artigos.
add a comment

miniatureExiste base bíblica para a interpretação das 2.300 “tardes e manhãs” (Dn 8:14)
como 2.300 anos?
Por Alberto R. Timm

Estudos históricos bem abalizados demonstram que, até meados do século 19, a grande maioria dos comentaristas bíblicos protestantes interpretava as 2.300 “tardes e manhãs” como 2.300 anos
(veja os citados por LeRoy E. Froom, The Prophetic Faith of Our Fathers, pp. 204-268; ou Alberto R. Timm, O Santuário e as Três Mensagens Angélicas [Engenheiro Coelho, SP: Imprensa Universitária Adventista, 2000], pp. 21-25). Essa mesma interpretação continuou sendo aceita nos círculos protestantes pelo menos até o final do século 19.

Existem várias razões que nos levam a aplicar o princípio “dia-ano” de interpretação profética às 2.300 tardes e manhãs. Uma delas é o relacionamento entre as 2.300 tardes e manhãs e as 70 semanas de Daniel 9:24-27. A visão sobre as 70 semanas foi dada a Daniel como explicação adicional à visão das 2.300 tardes e manhãs (ver Dn 8:14, 26 e 27; 9:20-27).

Nessa explicação, o único ponto de partida mencionado, que deve ser comum a ambos os períodos proféticos, é a
expressão “desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” (Dn 9:25).

Essa ordem entrou em vigor em 457 a.C. (ver Ed 7:13). E não há como fazer com que as 70 semanas se estendam “até ao Ungido, ao Príncipe” (Dn 7:25), entre 27 e 34 d.C., sem que este período seja considerado como 70 semanas de anos, ou seja 490 anos. Agora, se aplicamos o princípio dia-ano às 70 semanas, como grande parte dos comentaristas o fazem, também devemos aplicá-lo as 2.300 tardes e manhãs.

Outra razão é o próprio contexto histórico. A visão das 2.300 tardes e manhãs foi dada “no terceiro ano do reinado do rei Belsazar” (Dn 8:1), rei de Babilônia. O cumprimento deveria ocorrer, segundo a própria visão, em “dias ainda mui distantes” (Dn 8:26), estendendo-se “desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” (Dn 9:25), ou seja de 457 a.C., até o “tempo do fim”, o “último tempo da ira” e o “tempo determinado do fim” (Dn 8:17 e 19).

Se interpretarmos as 2.300 tardes e manhãs como 1.150 dias literais (3 anos e meio) ou mesmo como 2.300 dias literais (7 anos), esse período não chegaria ao final do domínio persa, e muito menos ao tempo do fim.

Uma terceira razão é o princípio da “simbolização em miniatura”, assim denominado em 1843 por George Bush, professor de Hebraico e Literatura Oriental da New York City University. De acordo com esse princípio, sempre que a entidade envolvida em uma profecia bíblica aparece simbolicamente miniaturizada, o tempo profético envolvido foi igualmente miniaturizado, e deve ser interpretado com base no princípio dia-ano. Por exemplo, em Números 14, assim como os doze espias simbolizavam doze tribos, os 40 dias representavam 40 anos (verso 34).

De modo semelhante, em Daniel 8, assim como o carneiro e o bode simbolizam dois reinos (Medo-Pérsia e Grécia), as 2.300 tardes e manhãs representam 2.300 anos.

Portanto, devemos interpretar as 2.300 tardes e manhãs como 2.300 anos.

Fonte: Sinais dos Tempos, setembro/outubro de 2000. p. 21 (usado com permissão)

31 de outubro: gostosuras ou travessuras? 31/10/2009

Posted by Vanessa Meira in Artigos.
add a comment
Hoje comemora-se o Halloween, o “dia das bruxas”. De forma ridícula, tenta-se importar essa celebração americana e implantá-la no Brasil.

Não pegou!

Foi estranho ver uma criança fantasiada andando num calor tropical de 35 graus sob o olhar irônico dos transeuntes na minha cidade… A pergunta “gostosuras ou travessuras?” não faz o menor sentido em nossa realidade.

O pior é que fica em segundo plano um evento muito mais importante e significativo que também deveria ser lembrado nesse 31 de Outubro:

a Reforma Protestante.

Há 492 anos, um cara desafiou o status e levantou-se contra o mainstream: Lutero.

“Gostosuras ou travessuras?” Lutero esolheu a segunda.

Gostaria de ver mais travessuras assim no meio cristão.

Eu desafio vc a se mexer (I dare you to move – Switchfoot):

Jesus, nossa única esperança. 11/10/2009

Posted by Vanessa Meira in 1.
1 comment so far

tiredRecentemente tive o prazer de ver dois amigos  preciosos serem batizados. Pude acompanhar o processo de conversão deles, as dúvidas, as provações e o modo amoroso como o Senhor lidou com eles.
Mas apesar de perceber o poderoso e positivo impacto do evangelho na vida deles, percebi também quantos fardos a igreja impõe nas pessoas, tornando a mensagem poderosa de Jesus em algo estranho, confundindo e às vezes dificultando a aproximação.

Enquanto estudávamos os grandes e importantes temas da Bíblia (Criação, Queda e principalmente a Redenção) sempre surgiam perguntas relativas a detalhes do estilo de vida adventista: roupas, divertimento, jóias, etc.
A impressão que esses amigos tinham do adventismo era de uma religião do “não-pode”. E o pior é que essa impressão era bem fundamentada na observação dos adventistas que eles conheciam.

O próprio culto de sábado e  suas muitas formalidades se tornaram uma barreira a ser vencida (nem creio que escrevi isso…) Sim, o culto é tão formal e cheio de coisas sem significado que essas pessoas cujos corações foram tocados por Jesus não entendiam a razão pela qual nos reuníamos semana após semana para nos chatearmos mutuamente em público.

Isso me fez pensar bastante: o que fizemos com o evangelho? Como conseguimos deturpar uma mensagem tão poderosa?

Acho que sei onde erramos.  Foi quando perdemos Jesus de vista. O verdadeiro Jesus, conforme apresentado na Bíblia, nada tem a ver com esse personagem maçante e culturalmente irrelevante que é apresentado pelos cristãos em boa parte do mundo. Não me surpreende que muitos não querem ter nenhum contato com essa caricatura de Jesus que insistimos em mostrar.

Ver essas  pessoas com o coração palpitando de amor por Jesus, o primeiro amor, e superando todas as barreiras levantadas por nossas questiúnculas e picuinhas me fez ver novamente Jesus como Ele é. Precisamos descobrir quem Ele é… Todos os dias. E viver essa verdade.
Jesus é nossa única esperança.

O Prego 05/10/2009

Posted by Bruno Flávio in 1.
Tags: , , , ,
add a comment

prego“Por causa de um prego, perdeu-se uma ferradura.
Por causa de uma ferradura, perdeu-se um cavalo.
Por causa de um cavalo, perdeu-se um cavaleiro.
Por causa de um cavaleiro, perdeu-se uma batalha.
E assim um reino foi perdido.
Tudo por causa de um prego.”

Em 11 de Setembro de 2001 a partir das 08:46 da manhã milhares de pessoas morreram, entre elas Gordon McCannel Aamoth,Maria Rose Abad, Andrew Anthony Abate,Vincent Abate,Laurence Christopher Abel, William F. Abrahamson,
Richard Anthony Aceto, Erica Van Acker, vítimas de ataques terroristas.

Esses atentados foram executados por vários terroristas entre eles Mohamed Atta, Waleed al-Shehri, Wail al-Shehri, Abdulaziz al-Omari, Satam al-Suqami que seqüestraram o vôo 11 da America  AirLines e foram os primeiros a se matarem e assassinarem centenas de pessoas jogando o avião contra a primeira das torres, a torre norte do World Trade Center.

Esses terroristas foram chefiados por Khalid Sheikh Mohammed, que planejou e calculou o ataque. Desde 1996 ele articulava com as chefias terroristas para que pudesse comandar esse ataque e em 1999 ele conseguiu a autorização e o patrocínio de um grande e milionário líder terrorista para que os ataques fossem feitos.

O homem que autorizou os ataques foi Osama Bin Laden, líder da AL-Qaeda, filho de milionários sauditas que decidiu lutar por sua fé Islâmica pela primeira vez em meados de 1985, quando se juntou a líderes Islâmicos no Afeganistão contra as forças Soviéticas.

Quando Bin Laden se juntou a esses grupos ele não era terrorista, era um soldado da resistência, ao menos até conhecer Ayman al-Zawahiri, que prometeu a ele a posição de Emir, um grande líder, caso ele o apoiasse com a Jihad Islâmica e deixasse o moderado Abdullah Azzan, líder até ser morto em um atentado terrorista.

O Homem que fez de Bin Laden um terrorista, Ayman al-Zawahiri, era um médico filho de um professor universitário e de uma moça de alta classe, tinha mestrado em cirurgia e era casado, um homem normal e bem sucedido até se tornar um terrorista que acreditava que matar pessoas, infiéis, era um meio justo e aceito para se conquistar o poder e a justiça.

As idéias de Ayman al-Zawahiri não surgiram do nada, vieram de um homem chamado Sayyid Qutb,  que acreditava que os ocidentais e a democracia eram na verdade um fruto podre, indecente, egoístas e incompatível com o Alcorão e com Deus. Para Qutb tudo que não era ditado pelo alcorão era mau e corrupto.

Anos antes Qutb resolveu assistir a um programa religioso e quando foi a uma Igreja ao invés de um culto encontrou um grupo de pessoas dançando e o pastor cantando “Baby it´s cold outside” uma música secular onde uma mulher tentar ir pra casa e um homem argumenta para que ela fique porque esta frio La fora. Esse foi o ponto de partida de Qutb para começar uma jornada contra o ocidente.

Por causa de uma igreja milhares de pessoas morreram, guerras começaram, o mundo não vive em paz. Por causa de uma igreja.

Suas escolhas fazem o futuro e mudam o mundo. Escolha o correto.

O Melhor Amigo 16/09/2009

Posted by Bruno Flávio in Dicas de sites, Links interessantes.
Tags: , , ,
add a comment

A algum tempo faço parte de uma comunidade artística livre na internet, DeviantArt, um portal que tem como objetivo dar aplicação a arte (Where ART meet Aplication!), ness a comunidade a maioria do que se posta sobre Jesus é pura Blasfêmia e mesmo o que se coloca de Bom é fruto de uma mistura entre “santo e Profano”  colocado por Jovens extremamente secularizados.

A algum tempo iniciei um projeto para alcançar esses jovens e  a quem “busca por Jesus” no site. A  idéia é  passar as novas do Evangelho para as suas realidades, mais atuais e modernas a um nível pessoal.

O desenho e o texto a seguir, texto do caminho a Cristo Pg 100,   foram inspirados depois de um comentário de um  jovem budista dos EUA que disse adimirar Jesus apesar de achar que o “Deus Cristão” ser muito severo e autoritário. Quem quiser ver o desenho em tamanho original e os comentários feitos a ele basta clicar AQUI e depois clicar diretamente na imagem.

My_best_friend_by_flaviuss

Muitas pessoas Vem Deus e Jesus como Seres  onipotentes e mesquinhos que estão somente  esperando por algum erro para poder lançar o  pecador no fogo do inferno, outras pessoas vêem  Jesus como Um ser onipotente sim , mas inatingível  que não da a mínima para o que acontece com os  seres humanos.

A verdade é que Deus é um pai de amor, É o melhor  amigo que alguém pode ter, é alguém que se preocupa  com você e que sempre esta disposto a te fazer feliz, é  alguém que quer saber o que você comeu, o que você  gosta ou não de fazer, o que te faz rir ou o que te faz  chorar, Deus é amor!

Se você tiver tempo leia essa mensagem abaixo, é da minha escritora favorita, e é muito bonita, caso você não tenha tanto tempo assim… pelo menos dê uma olhada nesse vídeo [link]

Exponde continuamente ao Senhor vossas necessidades, alegrias, pesares, cuidados e temores. Não O podeis sobrecarregar; não O podeis fatigar. Aquele que conta os cabelos de vossa cabeça, não é indiferente as necessidades de Seus filhos. “Porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.” Tia. 5:11. Seu coração amorável se comove ante as nossas tristezas, ante a nossa expressão delas. Levai-Lhe tudo quanto vos causa perplexidade. Coisa alguma é demasiado grande para Ele, pois sustém os mundos e rege o Universo. Nada do que de algum modo se relacione com a nossa paz é tão insignificante que o não observe. Não há em nossa vida nenhum capítulo demasiado obscuro para que o possa ler; perplexidade alguma por demais intrincada para que a possa resolver. Nenhuma calamidade poderá sobrevir ao mais humilde de Seus filhos, ansiedade alguma lhe atormentar a alma, nenhuma alegria possuí-lo, nenhuma prece sincera escapar-lhe dos lábios, sem que seja observada por nosso Pai celeste, ou sem que Lhe atraia o imediato interesse. Ele “sara os quebrantados de coração e liga-lhes as feridas”. Sal. 147:3. As relações entre Deus e cada pessoa são tão particulares e íntimas, como se não existisse nenhuma outra por quem Ele houvesse dado Seu bem-amado Filho.

Sim Deus é como um melhor amigo, um pai, um irmão tudo isso junto em uma pessoa com poder de fazer todo o possível por você!

Dependência ou Morte! 08/09/2009

Posted by Vanessa Meira in 1.
1 comment so far

Há mais de 180 anos o Brasil é um país politicamente independente. Ontem, 7 de setembro, participei de um desfile cívico com o colégio, expressando toda nossa civilidade.

É interessante como todos lutam para ser independentes. Os adolescentes gostam de dizer o famoso “Ninguém manda em mim!”, os adultos vivem ‘correndo atrás’ do seu próprio negocio, querendo ser chefes… As mulheres trabalham fora (e dentro de casa) para mostrar a todos (e principalmente aos maridos) que são independentes.

No momento, minha luta maior é para ser dependente. Neste assunto, a “independência é morte”. Tive uma criação extremamente independente. Tinha liberdade para fazer o que quisesse e quando quisesse. E isso me trouxe uma dificuldade terrível para depender do que quer que fosse. Tenho consciência que a liberdade que eu preciso só virá a partir do momento em que eu me tornar dependente de Jesus. Totalmente dependente.

A musica que está em minha mente no momento não é o Hino Nacional. É um hino pessoal, um clamor sincero, pra que o Senhor me ajude a simplesmente reconhecer que enganoso é o meu coração e vã a minha independência. Agradeço ao Senhor pelo Brasil, meu país. Mas mais do que isso, agradeço pelo lindo País que Ele está preparando liberdadepara mim, a nova Terra. Que nosso desejo sincero seja “dependência e morte”. Morte para o pecado, para o mundo. E dependência completa do nosso Deus.